Gêmeos! E agora?

Sim, a gestação de gêmeos guarda algumas diferenças que vão muito além do tamanho da barriga.

Por Clínica Pró Vita
10/01/2019 13h56

Sim, a gestação de gêmeos guarda algumas diferenças que vão muito além do tamanho da barriga.

A gestação de gêmeos invariavelmente pega mães, pais e familiares de surpresa e logo coloca todos em polvorosa! Afinal, o que era esperado para um bebê precisa ser multiplicado por dois (ou três, quatro…). 

A maior taxa de sucesso nos procedimentos de Fertilização In Vitro (FIV) é um dado importante ao se analisar a maior incidência de nascimento de gêmeos, afinal este tipo de fertilização favorece tais casos.

Mas, afinal, como saber se você está grávida de gêmeos? A certeza mesmo só virá a partir dos exames de ultrassom feitos já no primeiro trimestre da gestação. Por meio destes exames, o médico será capaz de identificar a presença de dois ou mais fetos se desenvolvendo no útero da futura mamãe.

O fato de a barriga estar muito grande não é um indicativo confiável, pois tal fator pode depender apenas das características físicas do bebê e da mãe – não tendo relações com uma gestação de gêmeos. 

O mesmo vale para os testes de farmácia. Algumas mães acreditam que, se o resultado positivo for bem marcado e evidente no teste, é sinal de gêmeos a caminho. Tal crença não encontra respaldo científico.

Enjoos, mal-estar e sonolência excessivos no primeiro trimestre de gravidez, podem, sim, indicar a presença de gêmeos. É que tais sintomas são um sinal de que a mulher está com uma alta dosagem de hormônio beta HCG, que confirma a gravidez no exame de sangue e também é responsável por tais sensações. Ainda, assim, certeza mesmo só com o ultrassom!

Após a confirmação de que gêmeos estão a caminho, a próxima dúvida que surge é se eles são univitelinos (idênticos) ou bivitelinos. No primeiro caso, houve a fecundação do óvulo pelo espermatozoide e o mesmo se dividiu em dois. Por isso, os gêmeos terão obrigatoriamente o mesmo sexto e serão praticamente idênticos. Já no segundo caso, dois espermatozoides fecundaram dois óvulos no mesmo período fértil – os gêmeos pode então ser de sexos e características físicas diferentes.

Em geral, os exames de ultrassom do primeiro trimestre de gravidez conseguem identificar as características dos gêmeos. Se for evidente que eles têm sexo diferentes, fica claro que trata-se de gêmeos bivitelinos. Caso os gêmeos estejam na mesma placenta, será possível afirmar que são univitelinos e terão o mesmo sexo.

A futura mamãe de gêmeos precisa ter um pré-natal ainda mais atento. O corpo da mulher não está tão adaptado a gestar mais de um feto ao mesmo tempo, o que pode levar a desconfortos e até ao surgimento de problemas como diabetes gestacional e pré-eclâmpsia (a hipertensão que ocorre em algumas gestações).

Os exames devem se intensificar no último trimestre, inclusive medindo o fluxo sanguíneo dos bebês (verificando se o crescimento está normal).

Além do mais, será pouco provável que os gêmeos cheguem à 40ª semana de gravidez. Caso a mãe acabe apresentando diabetes ou pressão alta, o parto costuma ser prematuro em 50% a 60% dos casos.

Com estes cuidados e uma gestação livre de estresse, só resta aguardar os bebês de braços abertos, muita festa e uma boa dose de energia!

Para mais informações fale com um de nossos especialistas. Agende uma consulta!


(12) 3204-3666 / 99609-3666

[email protected]

ficou com alguma dúvida?

entre em contato